FUTEBOL: ENSINO E EDUCAÇÃO – Reflexões para Professores e Treinadores

FUTEBOL E EDUCAÇÃO – Desafios

O que é aprender a jogar futebol?

Esta pergunta pode ter várias interpretações.

Mas, talvez, caiba antes outra pergunta: Por que ou para que se joga futebol?

Alguns querem se tornar jogadores de futebol profissional, outros querem apenas se divertir.

Seja um ou outro o objetivo principal, como se aprende a jogar futebol?

Será que para aprender a jogar bem esta modalidade esportiva (quer para ser profissional, quer para apenas brincar) é indispensável, antes de tudo, aprender os seus fundamentos, ou seja, dominar e passar a bola, controlá-la ou chutar e driblar, de forma isolada?

Ou será que não podemos aprender a jogar futebol, jogando futebol?

Muitas experiências e teorias pedagógicas demonstram que a partir do ato de jogar, os gestos técnicos como dominar a bola, passar, chutar etc. são fixados de uma maneira muito mais efetiva.
É através do jogo que podemos tomar consciência mais clara de que precisamos melhorar este ou aquele fundamento e não ao contrário.

Pedagogos e educadores nos ensinam que aprendemos melhor aquilo que nos faz sentido. Por isso, não basta o professor ou treinador falar para o aluno ou atleta que ele precisa desenvolver este ou aquele fundamento. Se ele (aluno ou atleta) não perceber aquela necessidade, o treino será mecânico e aborrecido. É preciso vivenciar esta carência no jogo para melhorar a qualidade do treino. Vale mais a qualidade do jogo do que a qualidade do fundamento. Afinal você pode chutar fora do padrão (técnico) e ser um artilheiro, pode ser pouco veloz, mas jogar um jogo rápido, pode não ter muita habilidade, mas ser eficaz no jogo.

O que se aprende ao jogar futebol?

Aqueles que têm uma visão tecnicista do futebol diriam que se aprende a passar e chutar, a dominar e controlar a bola; que os jogadores aprendem a se distribuir no campo, a jogar nas diferentes posições (defesa, meio campo e ataque), além das regras do jogo; enfim, aprende-se a jogar o jogo, ora.

Já aqueles que têm uma visão humanista, sistêmica e complexa do jogo de futebol, afirmariam que além dos fundamentos, dos posicionamentos, das regras e do jogo em si, também se pode aprender a relacionar-se em grupo, a entender as diferenças, a superar preconceitos, a ser mais inteligente e entender que quem sabe mais numa equipe deve ter mais responsabilidade em relação aos que sabem menos. Afinal, o elo mais fraco de uma corrente, reflete a força ou resistência de toda a corrente. Assim também funciona um grupo ou equipe de futebol.

Nesta perspectiva podemos não só aprimorarmo-nos para o jogo de futebol como – e talvez principalmente – para o jogo da vida. Podemos, enfim, através do jogo, nos tornar melhores pessoas.

Cabe, portanto, ao professor/treinador criar o ambiente de aprendizagem, conforme a sua visão.

E qual é a sua visão?

 

Para pensar

É preciso aprender as regras para depois jogar?

Podemos aprender ou mesmo criar as regras durante o jogo? Ou você acha isso um absurdo?

Será que os alunos/atletas podem discutir a sua própria prática? Ou só o professor/treinador, que é quem supostamente sabe mais, que deve falar?

Dá para aprender bem a técnica do futebol só repetindo movimentos mecanicamente?

Atitudes, valores e comportamentos podem ser mudados através da prática do jogo de futebol? Como?

Como educar pelo futebol?

João Paulo S. Medina